sábado, 18 de junho de 2016

História vs. Cinema | Invocação do Mal 2


“Baseado em fatos reais”. Mas será que realmente poltergeists assombraram uma família em Enfield, na Inglaterra, e os famosos demonologistas Ed e Lorraine Warren investigaram o caso? 

Ed e Lorraine Warren investigaram diversos casos de atividades paranormais durante suas vidas. Atualmente, alguns de seus casos tem sido base de filmes de grande sucesso de público. Mas aonde começa a realidade e entra a ficção? Em mais um texto do site History vs. Hollywood podemos conhecer a verdade por trás do sucesso de Invocação do Mal 2

Quando começou as histórias de assombração? 

A verdadeira história de Invocação do Mal 2 revela que, segundo a mãe, Peggy Hodgson, as assombrações da casa começaram na noite de 30 de agosto de 1977. Foi nessa noite que sua filha, Janet disse que as camas dos seus irmãos estavam balançando. Na noite seguinte, a srª Hodgson ouviu barulhos no andar de cima. Ela entrou no quarto dos seus filhos e viu a cômoda se movendo. Ela tentou parar o pesado baú de carvalho que se moveu em direção à porta, concluindo que uma força invisível estava tentando prendê-los no quarto.

A família Hodgson
“Tudo começou no quarto de trás, a cômoda movida, e você podia ouvir se mexer”, lembrou a verdadeira Janet Hodgson muito anos mais tarde em um documentário sobre poltergeist. Pensando que era Janet e seus irmãos que faziam os ruídos, ela revelou que a mãe dizia para todos dormir. “Nós dissemos a ela o que estava acontecendo e ela veio ver por si mesma” ela viu a cômoda em movimento. Quando ela tentou empurrar de volta, não conseguia.” 

Eles ouviram uma estranha batida vindo das paredes? 

Sim. As batidas supostamente assustaram a família tanto aqueles que dormiam no mesmo quarto com a luz acesa. Vic Nottingham, um vizinho, afirma que quando ele entrou na casa para investigar, a pedido da família, ouviu uma batida na parede e no teto que o deixou assustado. A batida pode ser ouvida durante entrevista realizada com Janet Hodgson dentro da casa. 

Dezenas de cruzes viraram de cabeça pra baixo? 

Não. Na verdade, comparando Invocação do Mal 2 com a verdadeira história de assombração em Enfield, não foi encontrada nenhuma evidencia de cruzes viradas de cabeça pra baixo nas paredes da casa dos Hodgsons. 

É importante destacar que a cruz virada de cabeça pra baixo não é tradicionalmente um símbolo do mal. É a Cruz de São Pedro que foi crucificado de cabeça para baixo, porque ele sentiu que não era digno de ser crucificado como Jesus.

Crucificação de São Pedro, Caravaggio
A mãe, Peggy, foi para a casa do vizinho pedir ajuda? 

Sim. Explorando a verdadeira história de Invocação do Mal 2, Peggy Hodgson levou sua família ao vizinho e pediu ajuda. Os vizinhos, Vic e Peggy Nottingham, se ofereceram para ir à casa e investigar. “Eu fui lá e não poderia fazer aqueles ruídos – houve uma batida na parede do quarto e no teto”, disse Vic. “Eu estava começando a ficar um pouco assustado”. 

Será que Janet Hodgson realmente levitou? 

No filme, Janet Hodgson subiu alto no ar e ficou presa ao teto. Este exagero ficcional pode ter tido um precedente real no caso de assombração de Einfield. Fotografias da “levitação” real de Janet a mostram apenas a uma curta distancia acima da cama. Isso, juntamente com a maneira como seu corpo está posicionado no ar, levou muitas pessoas a acreditarem que ela saltou de sua cama. As fotos questionáveis foram tiradas pelo fotógrafo do Daily Mirror, Graham Morris, depois que a família contatou a imprensa (o Daily Mirror é conhecido por ser um tabloide, cujas histórias publicadas não são tão críveis). 


“A levitação foi assustadora”, lembra Janet, “por que você não sabia onde estava indo para o chão”. Apoiando as alegações da família estavam duas testemunhas, um padeiro e uma senhora, que estavam passando pelo lado de fora da casa e afirmaram ter visto Janet pairando acima da cama. “A senhora me viu girando e batendo contra a janela”, lembra Janet. “Eu pensei que poderia quebrar a janela e atravessá-la”. 

Os demonologistas Ed e Lorraine Warren realmente investigaram o fenômeno de Enfield? 

Sim, porém num grau de envolvimento menor do que mostrado no filme que engana ao dizer “com base nos verdadeiros arquivos dos casos Warren”. Os investigadores paranormais, Ed e Lorraine Warren, investigaram brevemente o caso de poltergeist em Enfield no verão de 1978 e foram apenas dois dos muito investigadores que visitaram a casa em norte de Londres, em Green Street. A maioria dos artigos sobre o caso Enfield nem sequer mencionam os Warren levando a conclusão que o papel do casal na investigação real foi significativamente dramatizada para o filme.
Lorraine e Ed Warren
Na verdade, Guy Lyon Playfair, um dos investigadores paranormais originais do caso em Enfield, revelou antes do lançamento do filme que os Warrens apareceram ser serem convidados e ficaram apenas um dia. Ele também contou que Ed Warren havia lhe dito que poderia fazer muito dinheiro fora daquele caso. 

Ed Warren falou sobre o assunto no livro de Gerald Brittle, “The Demonologist”, afirmando: “... inumanos fenômenos espirituais estavam em andamento. Agora, você não pode gravar a ameaçadora, perigosa atmosfera dentro daquela pequena casa. Mas você podia filmar as levitações, teletransportes e desmaterialização de pessoas e objetos que estavam acontecendo lá – para não mencionar nas muitas centenas de horas de gravações feitas da voz desse espírito falando alto nos quartos”. Como o caso se revelou amplamente como uma farsa, alguns viram isso uma prova de que os Warrens também eram uma fraude. 

Será que Janet Hodgson, aos 11 anos, foi de fato possuída por um homem morto chamado Bill Wilkins? 

Na apuração da história de Invocação do Mal 2, podemos dizer que o filme foi em certa parte inspirado pelas reais fitas de áudio de Janet Hodgson. Nas gravações, ela pode ser ouvida transmitindo uma mensagem através de uma voz misteriosa, que, supostamente, é de Bill Wilkins, um homem que tinha morrida na sala de estar da casa há alguns anos. “Pouco antes de morrer, eu fiquei cego”, disse a voz. “e então eu tive hemorragia, adormeci e morri na cadeira no canto lá embaixo.” 

Em uma entrevista, Janet Hodgson sugere que a ideia de falar com uma voz possuída foi incentivada e plantada em sua mente pelo investigador paranormal Maurice Grosse. Quando perguntado em que momento as vozes começaram, Janet disse que uma noite Maurice Grosse lhe contou: “tudo que precisamos agora é de uma voz para falar”. Quase imediatamente a seguir desta sugestão, eles fizeram as vozes com rosnados principalmente, latidos e ruídos semelhantes a este. “Eu me senti usada por uma força que ninguém entende”, disse a real Janet Hodgson a uma TV anos depois. “Eu realmente não gosto de pensar muito nisso. Eu não tenho certeza se o poltergeist era realmente mau. Era como se já fosse parte da família. Ele não queria nos prejudicar. Ele tinha morrido lá e queria repouso. A única maneira que podia se comunicar era através de mim e de minha irmã”.
Margaret Hodgson e Maurice Grosse
Será que o homem que disse possuir Janet morreu anos anteriores na sala de estar no andar debaixo? 

Sim. Estudando o caso de assombração em Enfield, o filho de Bill, Terry Wilkins, confirmou que o pai morreu de forma semelhante descrito por Janet quando estava possuída. 

As atividades paranormais começaram após que jogaram com um tabuleiro Ouija? 

Sim, pelo menos de acordo com a real Janet Hodgson, que disse que ela e sua irmã Margaret jogaram com um tabuleiro Ouija pouco antes da atividade sobrenatural. 

Quantos filhos teve a verdadeira Peggy Hodgson? 

Assim como em Invocação do Mal 2, Peggy Hodgson era mãe solteira com quatro filhos: Margaret, 12, Janet, 11, Johnny, 10, e Billy, 7. 

Será que realmente os móveis se moveram? 

Talvez a afirmação mais crível dos móveis se movendo venha da policial Carolyn Heeps que assinou uma declaração no sentido de que ela assistiu uma poltrona levitar. Ao todo, foram mais de trintas testemunhas sobre incidentes semelhantes na casa. Além de móveis em movimento, também falavam sobre objetos voando, brisas frias, agressões físicas, poças de água que apareciam no chão, e talvez o mais incrível, fósforos acendendo espontaneamente. 

Será que a polícia não fez nada para ajudar? 

Não. Investigando a verdadeira história, apesar de uma policial ter testemunhado uma cadeira em movimento, a polícia deixou o caso depois de determinar que não era uma questão policial, já que ninguém estava violando a lei. 

O que causou a calma dos eventos no caso Enfield? 

Segundo a verdadeira Janet Hodgson, foi a visita de um padre em 1978 que fez a assombração se acalmar, embora as ocorrências não tenham cessado totalmente. Peggy ainda ouviu barulhos na casa uma vez ou outra, e o irmão mais novo de Janet que viveu na casa até que a mãe morreu, disse que sempre se sentiu como se sentisse vigiado. 

É possível que tudo tenha passado de uma farsa? 

Sim. Dois especialistas da Sociedade de Pesquisas Psíquicas pegaram as crianças dobrando colheres. Eles também acharam estranho que ninguém foi permitido entrar no quarto quando Janet estava falando com a voz possuída, que era supostamente de Bill Wilkins (entre outros). Janet mesma admitiu que alguns dos eventos de Enfield foram fabricados. Em 1980 ela revelou a um canal de TV: “oh, sim, uma ou duas vezes (que falsificaram as coisas), só para ver se o sr. Grosse e o sr. Playfair iriam nos pegar. Eles sempre conseguiam”. 

Em um artigo publicado no ano antes ao lançamento de Invocação do Mal 2, Janet disse que cerca de dois por cento da atividade paranormal na casa tinha sido falsificada. Durante uma entrevista de Margaret e Janet Hodgson que foi ao ar como parte de um especial de TV em 1980, Janet foi perguntada como se sentia ser assombrada por um poltergeist. “Não fui assombrada”, Janet respondeu sorrindo. Sua irmã sorri com espanto, como se Janet tivesse dito um segredo e sussurra: “cale a boca”, através de risos abafados. Janet disse mais tarde que que ela não sentia que o poltergeist era mal, o que significa que a casa não era “mal-assombrada”. 

Assim como o caso Enfield, uma enormidade de casos semelhantes surgiu nos anos seguintes a 1973 no lançamento de O Exorcista. Alguns argumentam que o filme deu origem a uma cultura de fraudes paranormais realizada por aqueles que buscavam fama e dinheiro. Outros acreditam que o filme de William Friedkin permitiu que mentes impressionáveis se tornassem facilmente influenciadas por sua trama demoníaca. Em todo caso, histórias semelhantes baseadas supostamente em fatos reais surgiram em Horror em Amityville, O Exorcismo de Emily Rose, Invocação do Mal e seu spin-off, Annabelle

O que aconteceu com a família Hodgson depois que a atividade paranormal diminuiu? 

Quando os eventos de Enfield diminuíram e a atenção da imprensa desapareceu, a família enfrentou vários desafios. Janet casou jovem após sair de casa aos 16 anos. Seu irmão mais novo, Johnny, morreu de câncer aos 14 anos. As reivindicações de que algo paranormal estava presente na casa acompanhou Peggy até sua morte. Janet, estava com 46 anos no momento em que Invocação do Mal 2 foi lançado. Ela perdeu uma filha e um filho que morreu aos 18 anos enquanto dormia. Ela diz que não quer ressuscitar as memórias dolorosas do evento em Enfield quando sua mãe ainda estava viva, mas que agora ela está pronta para contar a história. 

Como é que a verdadeira Janet Hodgson reagiu sobre o filme? 

A verdadeira Janet não ficou muito empolgada. “Eu não estava muito feliz ao ouvir sobre o filme”, disse ela. “Eu não sabia de nada sobre isso. Meu pai acabou de morrer, e isso realmente me chateou ao pensar em tudo isso de novo”. 

O que aconteceu com qualquer família que já viveu na casa desde que acreditaram que ela era assombrada? 

 Após a real Peggy Hodgson falecer, Clare Bennett e seus quatro filhos se mudaram para a casa Enfield. Assim como o irmão mais novo de Janet, Billy, Clare afirmou que ela sempre sentiu como se alguém estivesse olhando pra ela. Durante a noite, seus filhos acordavam com vozes que vinham do andar de baixo. Em seguida, ela descobriu sobre o caso de Enfield. O golpe final aconteceu quando seu filho de 15 anos acordou e viu um homem no seu quarto. Mudaram-se no dia seguinte depois de estarem na casa durante dois meses.

Este texto foi traduzido e adaptado do original The Conjuring 2 vs The True Story of the Enfield Poltergeist do site History vs Hollywood. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário