sábado, 29 de janeiro de 2011

O Código Da Vinci


O que torna interessante a análise do filme O Código Da Vinci, no que proponho aqui no blog, relaciona-se ao que tornou o livro escrito por Dan Brown um best-seller mundial: os fatos históricos apresentados, mas precisamente relacionados a Jesus Cristo. Acredito que todos se lembram quando o livro foi lançado e a polêmica causada – logo um filme baseado na obra não tardaria. Vamos aqui nos ater em algumas das questões históricas que a trama aborda e que foram utilizadas no enredo do filme.

Em O Código Da Vinci, filme dirigido por Ron Howard, o professor de simbologia Robert Langdon (Tom Hanks) acaba envolvido num misterioso assassinato ocorrido no Museu do Louvre em Paris, onde a vítima era a guardiã do mais bem guardado segredo que poderia mudar a história da humanidade, segredo este que poderia acabar com o poder da Igreja Católica. A partir daí, Robert Langdon, junto com a criptógrafa francesa Sophie Neveu, vive uma aventura frenética, rodeada de suspense seguindo pistas deixadas em códigos nas obras de Leonardo Da Vinci como A Última Ceia e a Monalisa.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Cinema como recurso didático nas aulas de história.


Nesse perspectiva, ensinar é estabelecer relações interativas que possilitem ao educando elaborar representações pessoais sobre os conhecimentos, os objetos de ensino e da apredizagem. O ensino se articula em torno doa alunos e dos conhecimentos e a aprendizagem depende desse conjunto de interações.

Selva Guimarães Fonseca. Didática e Prática de ensino de História.

Imaginemos a seguinte situação: uma aula de história para uma turma do 7º ano do ensino fundamental. Conteúdo da aula: Descobrimento da América. Após o professor apresentar o assunto, apoiado pelo livro didático, o docente sugere aos seus alunos que assistam em casa o filme 1492: A Conquista do Paraíso, de Ridley Scott. Alguns alunos atenderão ao pedido do professor e irão assistir ao filme.

A partir da situação acima, que voltaremos a discutir, podemos analisar uma das relações existentes entre o Cinema e a História: o uso do filme no ensino de História. Nesse texto pretendo abordar essa relação para que possamos perceber de que forma tal assunto vem sido debatido.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Biografia de Tolstoi nas telas

Leon Tolstoi foi um dos grandes nomes da literatura russa do século XIX. O autor dos clássicos Guerra e Paz e Anna Karenina, cujos textos desafiam as ideias da igreja e do governo, terminou a vida como um pacifista, pregando a vida simples e próxima a natureza.

A história dos últimos anos de vida do escritor é o tema do filme A Última Estação. A produção retrata o momento em que o romancista russo abriu mão do seu título de nobreza, de suas propriedades e de sua família, para tornar-se um homem pobre, vegetariano e celibatário.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Maria Antonieta


"Não cuidais nem de vossos deveres de esposa, nem de vossos deveres de rainha"
Imperador José, a respeito de sua irmã, Maria Antonieta.

Provavelmente esse foi o espírito que Sofia Copolla quis captar no seu filme sobre Maria Antonieta: uma rainha que não se comportou como uma rainha. Afinal de contas, a austríaca Maria Antonieta não foi preparada para ser uma soberana. Perdida no luxo e nas rígidas etiquetas da corte francesa ela procurou viver num mundo particular, onde nem mesmo escândalos e intrigas pareciam incomodá-la.

Não é a toa como Sofia Copolla conduz o seu filme, a escolha musical nos apresenta uma rainha de espírito adolescente - aquele AllStar nos meios dos sapatos da rainha não é gratuito. Uma soberana que não assumiu a responsabilidade do cargo que exercia e dessa forma ficava bem distante do seu povo. Seguramente, Maria Antonieta começou a amadurecer quando tornou-se mãe.